Vamos começar, então …

Já tem um tempo que o blog está no ar, sem nenhuma postagem, acontece que ontem me deu uma vontade desgraçada de escrever sobre as experiências que tenho tido com a moto nova — é, já tem uns 20 dias que troquei a V-Max por uma Triumph Tiger 800 XC — e  rodei uns 1.500 km com ela nesse período.

V-Max 1200
15 anos de companheirismo

Passei 15 anos com a V-Max (a segunda que tive), aproveitei muito os 40 mil quilômetros rodados com ela, andava pelo trânsito de Brasília como se estivesse em uma CG e, não sei se vocês sabem, mas a ciclística da V-Max não é das melhores. Pensei que a despedida fosse ser bem dolorosa, mas não foi, a emoção de trocar de moto, de estilo, de viajar, superou qualquer sensação de apego que eu pudesse ter pela “Poderosa”. Fechei o negócio da venda de manhã e à tarde já estava na concessionária da Triumph. Era uma quarta-feira, na sexta já estava de moto nova.

O primeiro fim de semana com a Tiger foi demais, tudo era novidade. A moto é uma beleza! Extremamente fácil de pilotar, ágil, confortável… No domingo à noite tinha rodado quase 500 Km e tive a certeza de ter feito uma ótima escolha. A moto é maravilhosa!!!!

Tiger 800 XC
Nova fase, novo estilo (com Lotus e Ghana)

O caminho diário casa, trabalho, casa tonou-se um verdadeiro prazer, a Tiger flui pelo trânsito com uma facilidade que impressiona.

Mais um fim de semana e eu e Alt fomos à Fazenda Barra do Dia que fica a uns 100Km lá de casa. Foi o primeiro off-road de moto da minha vida!!! 18 Km de cascalho solto (adrenalina pura) e 6 em uma estreita estrada de terra com vacas e seriemas atravessando pelo caminho. Só lamento muito não ter tirado sequer uma foto esse dia e nem ligado a filmadora que estava na mochila. Eu sei, eu sei, imperdoável!

No domingo foi dia de lavar as motos no lava-jato do Alt, o cara tem tudo em casa!!!!!

Terceiro fim de semana. Moto amaciada, revisão de 800 km feita e pé na estrada novamente. Eu e Alt fomos à Cristalina-GO (145 Km lá de casa pela GO-436). Foi a primeira vez que pude experimentar o motor em altas rotações pois a fase de amaciamento já havia passado. Mais uma vez a certeza da escolha certa, a moto é uma beleza na estrada, posição confortável, resposta rápida, agilidade…

Dessa vez não dei mole e registrei o passeio no vídeo abaixo:

1 Comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *