Dia 2 – Barra do Garças (MT) / Barra do Bugres (MT)

Dia 2: Barra do Bugres
Dia 2: a caminho de Barra do Bugres

29/08/2014 – O plano era dormir em Cuiabá, mas na noite anterior ligamos para vários hotéis tentando achar um lugar pra passar a noite, e nada. Estava acontecendo algum evento na cidade e tava tudo lotado. Decidimos seguir até Barra do Bugres, o trecho que seria de 520 Km passou para 680 Km.

Naquele momento não sabíamos ainda, mas essa mudança foi a melhor coisa que poderia ter acontecido.

O motorista do táxi que nos levou pra jantar em Garças nos deu a dica de evitarmos a BR-070 (caminho tradicional para Cuiabá) que é muito movimentada e irmos pela BR-251, que passa na Chapada dos Guimarães. e que dica! O visual da estrada cortando a Chapada é único, foi o primeiro grande momento na estrada, formações rochosas maravilhosas, curvas sinuosas, uma beleza de estrada.

Um excelente posto no entroncamento da MT-140 com a BR-251. Loja de conveniência climatizada, comidinha da melhor, café espresso... O difícil foi ir embora
Um excelente posto no entroncamento da MT-140 com a BR-251. Loja de conveniência climatizada, comidinha da melhor, café espresso… O difícil foi ir embora

Bem-vindo à Chapada dos Guimarães

Chapada dos Guimarães
Chapada dos Guimarães

Cruzamos Cuiabá com o sol a pino, um trânsito horrível e um calor de 40 ºC. Foi aí que vimos pela primeira vez que nossa “decisão” (forçada) de seguirmos adiante tinha sido ótima. Nada contra Cuiabá, não tivemos a chance de conhecer a cidade, mas certamente não estávamos no clima de parar em uma cidade grande como aquela.

De Barra a Barra
MT-246 – De Barra a Barra

Entre Cuiabá e Barra do Bugres pegamos o trecho mais movimentado de toda a viagem, eram centenas de caminhões nos dois sentidos e nada de pista duplicada. Nesse trecho, nossos comunicadores (cada um estava com um Scala Rider G9) mostraram-se de grande valia, o Beto foi na frente a maioria do tempo e ia dando ok para que eu e Alt fizéssemos as ultrapassagens depois dele. As motos também deram um show a parte, era só chamar que elas respondiam na hora sem negar fogo nem titubear. Momentos de forte adrenalina, mas sem nenhuma atitude irresponsável.

Chegamos a Barra do Bugres no final do dia, encostamos o primeiro posto para abastecer e pedir informações sobre algum lugar pra dormir. Mas assim que encostamos, uma camionete parou ao nosso lado e o motorista gritou lá de dentro:

— “Não abastece aí não! O posto ali da frente é melhor! Tenho duas Triumph! Me segue.”

Olhamos um para o outro e resolvemos seguir a camionete. No posto seguinte paramos, o motorista da camionete desceu e nos apresentamos. Ele tinha nos visto passar ainda em Cuiabá e não pode deixar de reparar nas motos equipadas pra viagem. Eder era o nome dele, um motoqueiro experiente que também adora uma estrada. Trocamos uma ideia, ele nos indicou um hotel (o do posto mesmo, muito bom por sinal) e combinamos de jantar juntos pra ele nos apresentar os demais motoqueiros da cidade.

No início da noite o Eder voltou e nos levou até o restaurante Beira Rio, onde encontramos mais uma galera, todos amantes da estrada que, inclusive, já haviam ido até Cusco também e nos deram dicas importantes sobre o caminho (na Cordilheira sempre tem água de degelo escorrendo na pista – passe por onde os pneus dos carros passam para evitar escorregar).

Jantar com os amantes do motociclismo de Barra do Bugres
Jantar com os amantes do motociclismo de Barra do Bugres

Foi uma noite muito agradável onde pudemos experimentar um pouco da hospitalidade daqueles que se unem em torno de uma paixão. Obrigado Barra do Bugres!

A rota:

2 Comentários


  1. Apesar do tempo, somente hoje vi o relato da viagem e não tive como conter a emoção !!! . . . . valeu . . . . muitíssimo !!

    Foi sem duvida uma noite simples mas inesquecível rodeado de pessoas que ficaram torcendo pela expedição de vocês.

    Espero estarmos juntos em uma próxima . . . Em Abril de 2015, pretendo ir a Termas do Rio Hondo na Argentina, assistir o GP Mundial de motovelocidade. Pura desculpa, pois o prazer é estar nas estradas !!

    Fraterno abraço.

    Responder

    1. Nós é que agradecemos, Eder, a hospitalidade de vocês foi incrível! Termas do Rio Hondo estava em nosso roteiro inicial, mas acabamos mudando de ideia na ultima hora e deixamos para uma outra oportunidade. Boa viagem!

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *